Anonymous hackeia Ministério da Defesa e expõe dados de Villas Boas e Mourão

Uma conta do Twitter chamada AnonOpsBR se declarou responsável pela invasão ao sistema do Ministério da Defesa que resultou na exposição de dados pessoais dos generais Villas Boas e Hamilton Mourão.
A invasão foi identificada pelo DefCon Lab, grupo de pesquisa da maior conferência hacker do mundo, e teria sido feita por injeção de SQL (SQLi). Em nota divulgada na rede de microblogs, os hackers informam que a ação é contra “fascismo e autoritarismo” dos generais.
 
 
 
ATENÇÃO; #Anonymous hackeou o Ministério da Defesa pela #OpEleiçãoContraOFascismo em protesto a postura antidemocrática dos generais Villas Boas e Mourão https://pastebin.com/G3M2rfqp 
 
“Nós somos Anonymous. Essa é uma mensagem direta ao fascismo e autoritarismo que ameaça a democracia brasileira através de seus generais Eduardo Villas Bôas e Mourão julgo vice do Bolsonaro, que sempre mandam recado com viés autoritário por meio de entrevistas, querendo tutelar a democracia por meio da força e do medo. Queremos dizer para vocês que estamos observando-os e estamos dentro de seus sistemas, estamos expondo parte do banco de dados do Ministério da Defesa em resposta a essa postura de ambos generais completamente antidemocráticas e provando que estamos observando de perto cada passo de vocês. Fazemos um chamado aos hackerativistas que defendem acima de tudo a democracia brasileira que se unam contra o fascismo e autoritarismo que rondam a nossa nação. Usem a hashtag #OpEleiçãoContraOFascismo”, aponta a nota.
 
Mourão é general da reserva do Exército e atual candidato à vice-presidente de Jair Bolsonaro pela chapa do PSL. Recentemente, ele deu declarações polêmicas sugerindo intervenção militar caso haja o que ele considera “caos” após as eleições. O candidato ganhou projeção ao se tornar o principal porta-voz da chapa depois que Bolsonaro foi internado em decorrência do atentado em Juiz de Fora, Minas Gerais.
 
Já Vilas Boas é o atual comandante do Exército, e também já sugeriu intervenção militar.
 
Os hackers tiveram acesso ao banco de dados do Ministério da Defesa e divulgaram informações como endereço, nomes, documentos oficiais e tabelas com informações como dados bancários da ambos os generais.Grupo teria invadido sistema através de injeção de código SQL (Foto: DefCon)
 
Esta é a primeira ação sob a #OpEleiçãoContraOFascismo. Contudo, desde o início do ano, há ao menos 8 relatos de outras invasões sob a descrição de #OpVotoImpressojá. Entre as instituições afetadas estão o Senai, Caixa Econômica Federal e Tribunal Regional do Trabalho.
 
Fonte: DefCon Lab

Canal theevolutiontech

Apenas mais um fã da grande rede , um maluco pela internet que passa grande parte do tempo conectado sempre a procura de novidades online , e sempre achando já que a rede é movida por novidades ...

Deixe uma resposta